Sou Salvo?


                                               

2 Pedro 1:10 “Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum.

Estive a pensar está semana, meditando em relação à salvação.
Todo Cristão genuíno em algum momento já se fez esta pergunta: sou mesmo salvo? Essa duvida nasce em um pecado cometido, numa luta perdida, numa perda emocional onde falhamos em ser firmes, num erro consciente que cometemos e tantos outros motivos.

Inúmeros pensamentos surgem mais rápidos que um fleche de luz. Sou batizado, nasci de novo, sou eleito, Deus me predestinou desde antes a fundação do mundo, sou igreja, falei em línguas, tenho dons espirituais, cresci na igreja, evangelizo, eu aceitei o evangelho, me alimento da ceia e por ai vão muitos e muitos pensamentos.

No fim pode ter alguns resultados, você se convence que é salvo e prossegui, você não tem certeza que é salvo, você não sabe se examinar, você vê que nunca foi salvo de fato e busca a conversão genuína ou desisti de pensar nisso e logo surfa em outra onda de pensamento. Pois é, eu não consigo pegar outra “onda” sem primeiro definir esta. Existe uma linguagem bíblica que me ensina a me avaliar, e a palavra de Deus nos insta a fazer isso constantemente para ver se estamos nas veredas corretas.

A palavra diz que o eleito de Deus jamais se desviará João 10:27-30 “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, quem as me deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebata-las  da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um.” A ovelha tem a vida eterna, ela não ganha e perde. A ovelha persevera, a ovelha segue Jesus, a ovelha não se desvia não se perde, a ovelha olha para Jesus.

Meu amigo (a) leitor (a), nós cristãos em nossa imensa limitação podemos nos enganar, nos apegando a doutrinas, a nós mesmo, em nossas obras, no nosso batismo, na nossa escolha, enfim, nos apegando em tudo e todos menos em Jesus. A salvação se da pela fé na obra de Cristo Jesus.

Leia esse texto de 2 Pedro, conseguiu ver? Ele nos elegeu? Sim, Ele nos vocacionou? Sim. Porém Ele da um alerta, buscai com diligencia, com muito zelo e atenção, o que? Confirmar a vossa vocação e eleição. Isso retrata e conota uma vida em constante analise, uma vida em constante renuncia.

Ele te elegeu por meio de Jesus, te vocacionou para testemunhar Jesus, Cristo é o centro. A palavra diz que o eleito não pode se perder a ovelha de Jesus não se perde e ninguém pode tira-la do grande pastor Jesus.

E então nós perguntamos: sou salvo? Acho que a resposta já foi dada não é mesmo? A ovelha jamais se desvia, você se desvia? A ovelha não vive na pratica do pecado, você vive? Matheus 24:13 “ Mas aquele que perseverar até o fim, este será salvo.”

Qual a característica da ovelha que não se perde? Santidade, constância e perseverança. A ovelha segui o pastor, e não confia em nada mais além do pastor, Jesus. Quer saber se é salvo? Busque confirmar com diligencia que você é uma ovelha, que você de fato segue Jesus.

Paz e graça.
                                                                                                 Maicon Chaves
                                                                                                                                                       


INIQUIDADE X PIEDADE


Por várias vezes ouvi várias pessoas dizerem que no que se refere ao pecado, o tempo hoje é mais difícil do que antes, principalmente para os jovens. Infelizmente cada vez mais surgem notícias de jovens discípulos que ficaram no meio do caminho e outros que sufocados por essa realidade inegável que a bíblia chama de aumento da iniquidade depuseram suas armas. O fato é que não tem como negar que estamos em tempos difíceis, até porque negar essa realidade implicaria em negar o que a própria bíblia afirma em Mateus 24:12 - E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará!

Após ouvir essa constatação por várias vezes, veio ao meu coração uma palavra que nos responsabiliza e desafia a lutar contra essa realidade. O Senhor falou-me que o grande problema não é meramente a já prevista multiplicação da iniquidade e sim a diminuição da PIEDADE. Pense comigo: Se a razão da desistência, queda, derrota ou perda de foco de muitos for somente o aumento da iniquidade estamos com um problema sério, afinal ela tende a multiplicar-se. Embora entenda que nos responsabiliza e desafia, constatei após ouvir o Senhor que o problema é a falta de PIEDADE.

A palavra “piedade” vem da palavra grega “eusebeia”, que de uma forma resumida significa devoção, vida com Deus, entrega, adoração... Usando uma frase popular: É se lançar de cabeça. É entregar-se de corpo, alma e espírito a Cristo; ser piedoso é não seguir os desejos do próprio coração, mas seguir o conselho de Deus.

Não podemos negar, que guardada as devidas proporções a tal da iniquidade sempre esteve presente na história dos cristãos de todas as épocas. Na vida de alguns, em alguns aspectos, a iniquidade foi e tem sido mais cruel do que é para nós hoje, como, por exemplo, no que se refere à crueldade dos iníquos quando perseguiram e mataram muitos discípulos justamente por não abrirem mão de uma vida piedosa. 

Há várias histórias bíblicas que poderíamos citar de jovens que viveram em épocas de extrema iniquidade, mas prevaleceram por meio da PIEDADE. Não vamos nos deter nisso, mas como não lembrar de Daniel na, iníqua, Babilônia. A vida de piedade de Daniel prevaleceu sobre a vida de iniquidade da Babilônia (Dn. 1:8). Não dá para esquecer de Sadraque, Mesaque e Abdnego (Dn. 3:12). E José no iníquo Egito? A mulher do patrão dele deu em cima dele, mas José não sucumbiu; quantas outras mulheres não devem ter dado em cima de José! Qual o segredo de Daniel, Sadraque, Mesaque, Abednego, José e tantos outros jovens que embora cercado por uma sociedade iníqua não tiveram a infelicidade de ver o amor se esfriar? A reposta é simples: A PIEDADE prevaleceu sobre a iniquidade!

Com certeza foi o exercício na piedade que inibiu os efeitos da terrível iniquidade e o consequente esfriamento do amor na vida daqueles jovens; em tempos tão difíceis em meio a uma geração tão iníqua eles prevaleceram. O segredo deles foi a malhação, prática de exercício na piedade – I Tm. 4:7b (eles utilizaram muito bem os aparelhos da diligência, fé, virtude, conhecimento, domínio próprio, perseverança, jejum, oração). Essa turma deve ter sofrido muito na luta contra a iniquidade – mas não se deixou levar pela ideia de que é assim mesmo, não tem jeito não, para eles não bastava sobreviver àquela realidade adversa eles resolveram prevalecer e para isso se exercitaram na piedade. Eram alunos da academia da PIEDADE, e cumpriam bem os exercícios.

A nossa relação com a iniquidade é de milícia e nosso papel é deter pela PIEDADE a multiplicação da iniquidade na nossa vida e na vida daqueles que serão resgatados por nós por meio de CRISTO, A PERSONIFICAÇÃO DA PIEDADE. Somos militantes da causa de Cristo, e é por essa causa que seremos perseguidos na batalha contra satanás, a personificação da iniquidade.

Na luta entre dois inimigos com igual chance de vencer, quem vencerá? Resposta: O que estiver melhor alimentado (veja o que Jesus disse em João 4:34) e o que estiver melhor exercitado (veja o que Paulo diz ao jovem Timóteo em I Tm. 4:7b). Do que precisamos então? Resposta: Boa alimentação e disciplina no exercício na Piedade! Se nos alimentarmos do pão e da água da vida, e nos exercitarmos Nele, não tem iniquidade certa.

Mateus 24:12 diz: E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará!

Finalizo afirmando o seguinte: Jacemã 42:29 - Por se multiplicar a PIEDADE o amor de muitos se esquentará. E a maldita iniquidade vai ter que recuar!

Quando falo de piedade falo do próprio Cristo em nós! Falo de mais de Jesus! AVANTE JOVENS VALIOSOS!

Autor: Jacemã Dória, 42 anos, pastor. 

Gosto das coisas simples...


Acredito que mais do que a maioria das pessoas. Quem me conhece sabe disso. Céu, sol, mar, areia, sorrisos, risadas, doces, curtas mensagens durante o dia, pequenos gestos, lembranças, podem me deixar mais feliz do que coisas consideradas grandes ou mais significantes para muitos. 

Gosto de perceber os detalhes. Não me acho muito atenciosa. Gostaria até de ser um pouco mais. Mas, tem coisas que realmente me chamam atenção. Olhares falam. Disso sabemos. Por isso, gosto de percebê-los.

Não fui assim o tempo todo. Aprendi a ser. Quando passei a entender que tudo foi criado com um propósito. Exatamente TUDO. Tudo o que existe, existe para o louvor da glória de Deus. 

A criação, eu e você que fazemos parte dela,  existimos para glorificar a Deus. Há muita beleza (grandeza) nisso. E, hoje, procuro contemplá-la. 

Gosto das minhas certezas. Em um mundo com tantas perguntas, eu tenho certezas. E nelas, mesmo que não as entenda perfeitamente, confio (creio). 

Gosto de saber que faço parte de um projeto. Um plano perfeitamente "planejado". A minha vida tem um propósito. Como toda a criação. Eu não estou aqui por acaso. Você não está aqui por acaso. Acredite em mim. 

- Jamille Dória.

Você tem Fé ou Esperança?


Agora, a fé é a substância das coisas que se esperam, a evidência das coisas que se não veêm. Hebreus11.1 versão (KJV).

John Wesley, o fundador da igreja metodista, disse uma vez: “ Muitas pessoas que vão à igreja não são realmente salvas.” Quantas coisas nós admitimos somente com a mente e não com o coração?, nós recebemos ou esperamos? John esta se referindo aqui à salvação, dizendo que muitos que vão à igreja não são de fato salvos porque não tem fé, sendo que somos salvos pela fé, mas isso contextualiza tudo, para o batismo com o Espirito Santo (receber), para uma cura (receber), para todos pedidos nas orações, não tendo fé nada receberemos.

Muitos de nós confundimos fé com esperança. Quero aqui mostrar para você leitor essa diferença, e mostrar como caímos fácil nessa confusão de fé e esperança. 

Em Hebreus diz: “a fé é a substancia”, outras versões diz “firme fundamento”, “firme confiança”, “certeza” e até “já possuir” essas são traduções derivadas da palavra “pistis” (convicção da verdade de algo) no grego, língua original do novo testamento. A fé não é esperar, a fé é receber agora não depois.

A fé diz: “é meu, tenho agora.”, a esperança diz: “sei que poderia receber, mas por alguma razão não recebo.”, por quê? Porque essa pessoa espera. Esperar esta no tempo futuro, fé esta no tempo presente. As pessoas confundem tanto que dizem: “Creio que poderia receber, mas não sei porque não recebo.”, veja como podemos confundir o “crer” com esperar. “Creio que poderia receber”, este creio não provem de fé (presente) e sim de esperança (futuro). 

Observe tal situação, uma pessoa pede oração para ser curada, pergunto: “Você crê que quando eu colocar as mãos sobre você e orar será curada?” você pode ouvir estas comuns respostas: “Espero que sim, se for a vontade de Deus.”, “Assim espero”, “Creio que posso receber”, essas respostas não demonstram fé, revelam esperança, e se você espera você não receberá porque fé é agora não depois. 

Fé é ter o que se não vê, é ter o que se espera.

John disse que nem todos que vão à igreja são salvos, sabe por quê? Porque muitos vai para lá (ajuntamento dos santos) esperando assim serem salvos (futuro), e não porque foram salvos (presente). Muitos deixam de pecar para serem santos (futuro), e não porque são santos (presente). Os que deixam de pecar para ser santo, nunca o serão. Santidade não é uma conquista, é uma realidade presente, não futura. O pecado não será vencido, já foi vencido, e em Cristo somos vencedores. Vivemos coerente com aquilo que somos, não com aquilo que queremos ser.

A fé está além de nossos sentidos, pois a fé substancia o que se não vê. O problema é que muitos esperam sentir para crer. Esperam ver, porque se você espera isso mostra que não crê para agora, mas crê para depois. Esperança aponta para o futuro, fé é para agora. Darei dois exemplos de fé sentido (mental), e fé genuína (do coração).

1 - João 20.25-29: “Disseram-lhe então os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele (Tomé) respondeu: Se eu não vir (sentido de visão) nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o meu dedo ( sentido de tato), e não puser a minha mão no seu lado, de modo algum acreditarei (sentido da mente razão). Passados oito dias, estavam outra vez ali reunidos os seus discípulos e Tomé com eles. Estando as portas trancadas, veio Jesus, pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco! E logo disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; chega também a tua mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo (observe que Jesus atribui incredulidade a fé baseada em nossos sentidos naturais), mas crente. Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram ( com os olhos), e creram (com o coração).” Tomé não teve fé, a não ser quando viu, se Cristo não houvesse aparecido para ele Tomé seria mais um ímpio, mais um homem sem fé, e sem fé ninguém pode agradar a Deus, sem fé ele não seria salvo, pois não creria no Cristo ressurreto. A fé não é ver com nossos sentidos, mas é trazer á realidade a certeza e substancia daquilo que não vemos. 

2 - Romanos 4.17-21: “como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí, perante aquele no qual creu (tempo presente), o Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem. Abraão, esperando contra a esperança (esperando aqui se refere não a fé agora, porque é óbvio que ele não estaria vivo para ver a nação de seus descendentes ), creu (tempo presente), para vir a ser pai de muitas nações ( apesar dele ter crido sabia que não veria, porém tinha convicção do futuro, ele trouxe o futuro para o presente com a fé), segundo lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E, sem enfraquecer na fé (pelo fato de não ver a promessa), embora levasse em conta o seu próprio corpo amortecido (mesmo que seus sentidos naturais diziam o contrario), sendo já de cem anos, e a idade avançada de Sara, não duvidou da promessa de Deus, por incredulidade (não baseou sua fé nos sentidos mas na certeza de que Deus cumpri o que diz); mas, pela fé ( de coração e não com a mente), se fortaleceu, dando glória a Deus (só agradece quem já recebeu, quem possui, não é mesmo?), estando plenamente convicto (fé é a certeza, substancia, fundamento, total confiança do que se não vê) de que ele (Deus) era poderoso para cumprir o que prometera.” Glória a Deus por isso não é mesmo? Sentiu a diferença de Abraão com Tomé? Abraão não se baseou em seus sentidos o que conotaria incredulidade, não esperou ver para crer, tocar para ter certeza, sentir para viver.

Se toda vez que eu e você esperarmos (futuro) não obteremos a cura, a resposta daquela oração e etc, porque fé não é esperança, fé é dar substancia ao que não se vê e sente com os sentidos naturais. Se você esta enfermo, se você quer vencer um pecado, se você quer se santificar, se você quer receber o batismo com o Espirito Santo, se você quer ser salvo, tenha fé não esperança. A fé salva, cura, santifica, restaura, edifica, transforma, a fé é o meio para ter Cristo e ser participante da sua divindade. Se você tem esperança, transforme-a em fé, como? , trazendo sua esperança (futuro) para o presente (agora), e lembre-se, a fé esta além dos nossos sentidos, quando um aleijado foi ordenado a se levantar e andar por Jesus, ele não estava em pé, porém, mesmo deitado sem os sentidos das pernas creu que já estava curado e simplesmente se levantou. João 5:7-9“…O homem enfermo queixou-se: “Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto estou indo, desce outro antes de mim.” Ordenou-lhe Jesus: “Levanta-te, apanha o teu leito e anda.” Imediatamente o homem ficou curado, pegou seu leito e andou.”

Jesus disse: “Em verdade vos digo que, se tiverdes fé (de coração) e não duvidardes, até se a este monte disserdes: ergue-te, e precipita-te no mar, assim será feito; e tudo o que pedirdes em oração, crendo (tempo presente), o recebereis (já é seu é só possuir).” Mt 21:21-22. Se tivermos fé, a de coração (tendo convicção do que os sentidos não veem), não a da mente (baseada nos sentidos), Deus fará porque ele disse que assim será.

Caro leitor, assumo que falar deste assunto resumidamente foi um desafio, e sei que esta longe de ter se esgotado, e por isso, fique a vontade em tirar duvidas no comentário deste blog, estou a total disposição para responder toda e qualquer duvida relacionada ao texto.

Graça e paz em nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.


- Maicon Chaves


Sobre Mandingas e Mantos Evangélicos




Infelizmente, é constatável que eventualmente os movimentos do cristianismo mais cheios de fiéis acabam copiando a cultura dita secular de formas estranhas. Reproduzir uma atitude não-religiosa em contexto religioso, por si só, já é um ato estranho à religião. A coisa piora quando essa transformação da cultura secular, em cultura religiosa subverte os ensinamentos bíblicos criando um falso ensinamento.



Há hoje, principalmente nos meios pentecostais não tradicionais e neo-pentecostais, a famigerada expressão "tocar no manto", que é usada como tema de campanha de orações, tema de orações, tema de músicas, enfim, é mais um caso de texto isolado que virou doutrina. 
A expressão de fato é bíblica, está lá no evangelho de Marcos, capítulo 5, versículo 28.
Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua veste.Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei. Marcos 5:27-28



O problema, como já dito, é tirar o texto do seu contexto; ignorar algumas interpretações importantes que estão evidentes no próprio texto e, a partir daí, criar um novo ensinamento. Vamos acompanhar aqui a continuação da mensagem desse texto com suas ponderações mais relevantes: E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal. [...]

Marcos 5:29 
Então ele [Jesus] lhe disse: "Filha, a sua fé a curou! Vá em paz e fique livre do seu sofrimento".
Marcos 5:34

Ao ver que a mulher estava curada, Jesus não disse "Filha, seu toque no meu mato te curou" ou "Filha, meu manto te curou". O que Jesus afirma, com todas as letras, é que a fé da mulher a curou.



O que podemos concluir disso é que a fé genuína no Senhor, com uma atitude genuína de fé, são vistos com bons olhos por Deus. Além disso, é importante relevarmos que o manto tocado não era o manto de um homem qualquer, mas sim do próprio Deus em carne; situação semelhante a essa ainda não foi vista nessa era (e nem será). O texto acima não dá margem para imaginarmos que possam existir objetos que sejam sagrados ou consagrados em si mesmos, ou mesmo pessoas, que possam garantir milagres só pelo tocar.
Paz seja convosco!

Retirado do blog: http://metendoasola.blogspot.com.br/

Fariseu, arrependa-se.


Antes de começar o texto, gostaria de deixar claro que nem todos os fariseus tinham o comportamento como aqueles a quem Jesus discordava. Mas que comportamento esses fariseus tinham?

"E ao anjo da igreja de Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:

Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!

Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca."

Apocalipse 3:14-16

Os mornos são as pessoas que se dizem ser cristãos e não são. Os chamados religiosos. Aqueles que não vivem o que pregam. Exatamente como eram os fariseus a quem Jesus combatia. Esses tais envergonham o evangelho de Cristo, pois passam uma ideia errada de como deve ser o cristão. Você já percebeu que quando alguém vai falar dos cristãos em geral sempre generalizam por algo de errado? Isso acontece devido a testemunhos de fariseus do século XXI.
Jesus em Mateus 23 fica irado com o comportamento dos fariseus e traz palavras duras em que eles deveriam se arrepender se não estariam debaixo de condenação. 


"E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos."

Tiago 1:22



Os não praticantes da palavra são os fariseus hoje. Eu já estive nessa condição, me declarava "evangélico", mas não lia a Bíblia, não orava, jejuava, não obedecia a palavra até porque não a conhecia. Defendia a religião. Era cego. Se você está nessa condição hoje, há uma solução, eu a encontrei e ela é citada no próprio contexto de apocalipse do recado a Igreja de Laodiceia:



"Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.


Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."
Apocalipse 3:19-22